sexta-feira, 18 de maio de 2018

quarta-feira, 16 de maio de 2018

contos sobre drogas e espiritualidade -espiritismo

Tempo e Espaço

Senhor, só agora eu sei,
Eu sei que carrego a eternidade comigo
E foi preciso vinte e três anos para saber disso
Tirei o relógio do bolso
Tirei tudo de mim mesmo
Menos a saudade do passado

Continuo caminhando na mesma senda, Senhor
Como um Espírito esfarrapado
Todos arranjaram suas vidas
E eu estou a espera do passado
Cansado da mesma vida
Vivendo no mesmo espaço

E todos os outros, Todos, Senhor
Já deram voltas ao mundo
Com suas vidas sagradas
Em tempo de trabalho e feriados

E quando os revejo, Senhor
Eles estão cheios de novidade
E eu cheio de angústias e saudades
Tenho ideias, mas não tenho meios
Tenho evolução moral
Mas vivo na infância material

E agora é tarde demais Senhor?
Acho que ainda não é um bom dia pra morrer
Quero partir, recomeçar
Chega de passado, chega de chorar
É hora de viver feliz
Sem Tempo e Espaço.

sábado, 12 de maio de 2018

Existencialismo

Mesmo a Alma encarnada
em corpo perecível,
ainda que dormente em terrestre exílio,
não esquece seu verdadeiro estado,
O Espírito infinito...

domingo, 1 de abril de 2018

Ócio do Passado


Não olhe pela janela
Não há mais nada de ontem
Tudo se foi – ou quase
Como o tédio de ver,
Uma carcaça de barata ser devorada,
Por formigas sem casa...
Onde o ócio é a continuação da depressão,
Onde chuva e sol têm a mesma cor
Onde moramos a vida toda – eu
E já não conhecemos mais nada – nem nós mesmos
Há sempre ou quase sempre,
O desemprego e a falta de rumo – uma loucura saudável,
Para fugir da extinta vida mágica,
Que morreu cedo,
Aos quatorze do primeiro tempo...
E o tédio é a genialidade sem rumo,
E o amor uma esperança,
De entregar a espiritualidade de um livro
E sair da cama e de casa é heroísmo
E as crianças e os mecanismos das Leis Divinas,
E o conhecimento de causa e efeito Delas
É a força de salvar-me dia a dia do autocídio
E aos trinta e nove do segundo tempo,
Sinto-me envelhecido e sem forças
E se não fosse os anjos do Senhor,
Estaria eu nas ruas, vencido...

domingo, 4 de março de 2018

Últimas Palavras

Como um livro fechado, vinte cinco anos
Como um câncer em um cachorro velho,
sugando a vida da vida,
rastejando depressão e mistério...
Como um leão enjaulado,
sem os recursos antigos,
sem a jaula de antes,
pobre ironia é o que sou, o que me tornei...
O encontro das duas ruas da minha vida,
já são raras as árvores de antes...
e eu só recordo o lugar,
pelas poucas casas antigas que ainda resistem,
ás tristezas da vida de agora maldita!
Preciso virar a página,
dar fim as saudades das glórias passadas - felicidade...
e o encontro com testemunhas da alegria bendita vivida,
é um aceno de mão,
num sorriso gélido, triste sem graça, sem alma...
Querendo rasgar o tecido do tempo,
e voltar ao passado,
e se temos ilusão como esperança,
não temos nada mais do que loucura prestes a estourar,
É termos saudades eternas como herança...

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Hoje...

Não há nada de bom na Terra
não há nada de bom agora
o que foi bom, já foi
foi o passado...
já era essa Era...
e tão remoto que preciso ver fotos
fatos, hoje são pálidos
escuto os passos de mortos
escuto o plano do meu suicídio, feito por eles
e o autocídio de um espírita
é a descrença da matéria por um materialista
é a morte em vida
a quanto tempo, vago?
quanto tempo me disfarço?
a quanto tempo engano?
o presente é um sorriso sem dentes...
o futuro, um subemprego presente
e o passado uma miragem no deserto sorrindo com eles

sábado, 20 de janeiro de 2018

1991

Achei no forro do telhado de casa esse pacote da Ruffles que joguei lá em 1991, e resgatei em 2015...

quanta saudade, da felicidade...

sábado, 6 de janeiro de 2018

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Primavera Fria

Tentar marcar o tempo,
como se isso em mim ainda fosse possível
Como se fosse um vômito,
de tinta verde estourada na parede
Minha bile que percorre,
meu fígado e jorra por toda parte
Débil e infantil - manter-me de pé
Morrer sem saber quem é - talvez,
num mundo que convulsiona,
é ser feliz como inseto
que vai e volta,
não obstante, estar certo se existe ou não,
de quem é...
quem é que vive, quem é que sonha?!
equilibrando-se entre formas - pensamentos,
de choros de luz e sorrisos de sombra...

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Sonhos Desbotados

Sonhos desbotados
de tempos passados
último recurso jogado no lixo
em mergulho em velha piscina,
cheia de vômitos de timidez
depois o pânico - o álcool
e ouvir uma canção ao vivo,
é morrer de frustração,
na longa noite de terror
que me abateu nos últimos 24 anos
músicos ao meu lado com sua melodia,
é o som do meu funeral em vida...
nestas linhas que procuro me sentir vivo
perguntar a vida e a eternidade
- quanto tempo falta para findar a saudade!?
onde foi que e por quê,
perdemos a felicidade!?
Há que viver!!!
para resgatar débitos,
na exercida maldade,
nos ombros em que carregamos
mais um exílio na Terra,
indo e voltando,
aqui e na erraticidade...
quantos túmulos nossos,
durantes centenas de reencarnações,
existem no cemitérios - os jardins da saudades!?

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Tristeza

Inverno, sol, cheiro de fogueira
Trinta por cento da minha infância
As mesmas paisagens pouco mudadas
O mesmo poste em frente de casa
Muita gente foi embora
poucas coisas que ficaram tem alma...
vinte por cento de alguma vontade,
minha vida agora
Velhas canções escuto
leio - tem alguma novidade
e choro querendo voltar ao passado
não me mato
a vida é eterna
é O Espírito querendo falar,
os outros cinquenta por cento,
de que existo,
é um grito que ecoa na mente
sem gritar...

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Sem Volta

Acordei para fechar as portas que ficaram abertas do passado luminoso...
Estavam descuidadas, abandonadas... Por dentro, lixo, escuridão.
Nas paredes, nossos pensamentos escorriam saudades pesadas...
Tivemos o trabalho de só dar trabalho...
Quisera eu rasgar o tecido do tempo,
e voltar ao sol do velho mundo, do nosso velho mundo...
Mas não se engane querida, todos nós desencarnaremos um dia, e certamente será melhor para todos.
Mas temos que limpar, antes o que sujamos,
Voltaremos a nos contemplar na forma perispiritual de décadas atrás - e isso é meu único sonho...
Correremos atrás dos sonhos de Verdade...
A ilusão nos esgotou,
como a andar sem rumo,
no deserto das drogas...
As mentiras estão indo embora
e nós juntos estamos no momento, vazios e ocos,
mas cheios de esperança - eu pelo menos...
O que aconteceu conosco!?
Foi uma hecatombe,
foi uma desgraça, para despertarmos, e nós nem percebemos!
A revolta nos embotou a visão,
nos castigou o coração,
a alma sofreu,
o corpo quase pereceu.
Mas continuamos no campo das formas,
na escuridão do caminho de volta
Somos eternos companheiros do amor, estagiando na dor - e a quanto tempo, meu Deus!?
O amor é Deus dentro de nós,
O que nos falta é Fé, menos revolta,
Um caminho feliz, sem volta...

terça-feira, 21 de março de 2017

Duas Décadas de Volta

Duas Décadas de Volta
Vamos atravessar o inferno juntos, minha irmã
Se estivemos juntos na luz da felicidade duas décadas atrás
Estaremos juntos agora novamente
No caminho espinhoso de volta pra casa...
Das nossas escolhas equivocadas,
Da senda cheia de nada...
Mas nada dura para sempre,
a não ser a vida...
E o sofrimento que carregamos hoje,
é a ilusão que sorvemos ontem
a fim de eleger alívio
ao desespero, do fel
que nos ia alto ao peito
Mãos dadas agora estamos
Não obstante os surtos
que vem e vão...
A loucura é o desequilíbrio
que não foi tratado durante séculos...
Objetivo é agora a sedação da Alma,
À Luz da Razão Espiritual...
Há Luz no fim deste túnel sujo e escuro...
Nossa saúde não é mais a mesma
Mas estamos fazendo isso à duas mãos
Estamos juntos na saudade
Do reencontro doloroso
Relembrando os sonhos do passado,
na atual realidade
no instante laboroso
Temos todo tempo do mundo...
A vida é eternidade
o sofrimento, evolução
o alvo, a felicidade...

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

...

A morte é a Ressurreição; O nascimento é a Reencarnação.

A nós - Ao próximo

A minha tristeza
tem o tamanho da sua
desesperança de viver
nossa ligação por anos pereceu
eu também havia morrido
e você cansou de sofrer
em que curva do caminho escuro
te perdeu?
Onde quebrou tua frágil candeia de sonhos luminosos?
Perdeu o controle e resolveu morrer?
Tantas perguntas sob minha mente
e tuas respostas negativas de autocídio...
O caminho de volta é mais difícil
mas juntos estamos atravessando
o começo do fim
do fim do meio
de nós mesmos
e se nada será novamente como antes
também não será como hoje
amanhã será o meio termo
um ganho de tempo
entre a ilusão juvenil e o abuso
entre sonhar acordado
e pesadelos, dormindo
não adianta fugir
no mundo de formas não se mata a dor
se ganha paz se ganha amor
sigamos em frente
há muita luz adiante
alcançaremos evoluindo
amor, ciência ao próximo, distribuindo...

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Caminho da Eternidade

Procuro a saída
com ou sem flores vivas
num cesto no bojo do tempo
de até que enfim, amor
rufaram os tambores da antiguidade
é o sinal para quem ficou
procurando mudanças seculares
poderá ser a única habilidade
à perceber os sinais
do novo mundo
sem as velhas e exaustas modernidades
jamais estaremos separados
os sonhos infantes nos uniram no passado
agora melodias clássicas
rufaram os tambores do pavor
juntos estaremos com o coração esperançoso
no fundo do poço
da morte e da vida
deixando para a história a maldade
andaremos juntos
deixando passo a passo as trevas
arrebatados de amor
rumo a felicidade
sofrer é o percurso
dentro do tempo
e do caminho da eternidade.

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Choram olhos meus

Choram olhos meus
minhas lágrimas de alegria sumiram
ficaram outras a cair...
as do meu martírio

Foi-me embora a felicidade
por companheiras ficaram,
as olheiras, a angústia e a saudade

Acabou minha infância feliz
minha curta juventude de sorrir
meus amigos e amigas se foram
sem do meu coração partir

Fiquei só, com as lembranças
encravadas no mesmo sítio
de toda minha vida - o meu bairro
diferente está na forma
mas a energia - a mesma
nos meus pensamentos
e memórias de outrora

Peço Aos Anjos, não me ignorem
rogo A Deus, aos que amo
e aos que choram

Se feliz não posso mais ser
utilidade ao próximo, posso ter
se chorar feliz não posso
vou até o fim
sorrir ao triste caído no solo.

terça-feira, 31 de maio de 2016

Aquém Vazio

Seus lindos olhos para baixo,
São pássaros se curvando a terra,
Esquecendo a benção de voar
Seu rosto lindo, triste
é o Anjo que ainda
Sabe-se lá Deus,
Não sabe onde está o Reino dos Céus
Seu corpo bonito e pequeno,
Não gera cobiça,
só amor!
Amor! Amor! Amor!
Não esqueça que ao adormecer,
a alma desperta
voa, volita...
Sorria nem que seja só lá...
lá no Além...
 Ergue a cabeça
fitando o olhar do Aquém,
Sorri, chora e caminha,
Estamos juntos e separados por séculos
e eu falando do meu vazio,
Este vácuo, sem você,
este vazio de vinte anos!
incompleto,
Crendo sem crer,
Amando sem Ter.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Saudades do passado. Futuro na cabeça. Presente parado. 
Me foge o sangue a face. Pálido sempre estou. Saio ao sol e rosto corado fico. Chego a casa, acabou. 

sexta-feira, 11 de março de 2016

1997 e meio

Entreguei meu coração
Cheio de fé e felicidade,
Durante dois anos
Intensamente, alegre, perdido e excitado...
mas acabou de repente
E três anos após,
tão perto e tão longe,
e quase vinte anos mais tarde,
agora tão longe e tão perto
Todo este tempo de vergonha e exílio,
por isso, imensa saudade
E foi-me embora,
os sonhos juvenis 
E hoje, meu coração
triste e feliz,
Na disputa, entre Espírito e carne,
pertence ao meu cérebro, 
a realidade da imortalidade
dando curso a eternidade...

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

2015

O Ano que levará décadas para terminar... os anti cristo do PT, acabaram com o Brasil!!!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Levanta-te

Levanta-te, nunca é hora de morrer
Acorde, sempre é hora de viver, pela eternidade,
ainda que minha vida, tenha matado meus sonhos físicos,
minha alma é livre de embaraços de atraso
posso cantar bravamente em Espírito,
mas na Terra, minha cordas vocais não obedecem meu talento
choro pela timidez que escolhi, mas à bendigo todo dia...
frente ao que descobri sobre o que é viver,
nada nos pertence, além da obra que deixamos a todos
O corpo é veículo da expressão da verdade. 
O atraso é a vaidade...

Domino Gratias


"Há duas maneiras de ser feliz, na Terra. A primeira consiste em aproveitar os parcos momentos felizes com intensidade e amor. A segunda mais rotineira, é sorrir em cima ou embaixo dos escombros que caem dia sim dia não na sua cabeça e no seu coração... Este sorriso, enfim é a Construção do Reino de Deus, dentro de nós mesmos." Fisma Eleke

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Plágio de retalhos

 A natureza cobra, o desequilíbrio, é necessário, respeitá-la, trabalhar em sua harmonia, não haverá como agitá-la. Todos estamos vivos, até mesmo no silêncio de uma foto, há um coração que ama, com ou sem martírio... Os livros são vacinas para alma. E o que é, o amor que nunca ama? Burocratas da reencarnação, são os laços co-sanguíneos, convivendo com amigos/inimigos, que unem-se sem afeto, sem domínio, tentando o perdão... Tudo isso é o cinza de uma guerra, ou cores berrantes da paixão? Ombreando, em várias vidas, amor ou ódio na partida?! Traz a saudade o coração... E quem foi, ainda existe, e quem ficou, chora, resiste... A prova da separação. Na sombra ou na luz, quando dormimos, o ensaio da partida, quando nos amamos, estamos juntos. A saudade de um abraço, vem a tona em soluços, da vida eterna, gratidão...