domingo, 8 de julho de 2007

Minha vida do Mundo

Não esqueci da infância,
De toda a infância,
Da minha infância,
Até a puberdade
Quando era feliz e não sabia,
Sentia-me preso, para andar com meus amigos na infância;
Mas na minha cabeça infante e sonhadora,
Mal sabia eu que tinha a liberdade,
Ainda não tinha me prendido no sofrimento,
Só conhecia a felicidade,
Mas com a luz da Doutrina Espírita volto,
Mesmo com um gosto amargo na boca,
Mas aprendendo a alegria da resignação,
Independente da idade, tentando ajudar ao próximo;
Sem recompensa e facilidades.

Nenhum comentário: