domingo, 8 de julho de 2007

Um amor de infância

Rever teus olhos claros,
Teus cabelos dourados
Novamente, depois de anos de sumiço,
E embates da vida
Me, fez lembrar o céu azul da minha infância,
Da sua beleza, pura fragrância,
Novinha também criança,
Seu nome não quero dizer,
Na nossa infância,
E agora só minha
Como sempre sonhei,
Nos meus delírios infantes
Essa troca de olhar “hoje”
Também me fez recordar
Que em você eu só pensava, eu sonhava, eu delirava,
Na minha tenra idade, alegre, feliz,
Eu te amava, amava sua beleza mágica, sua firme,
Mas sempre suave candura, me encantava,
E agora com certeza podemos,
Viver o nosso, tempo, juntos,
De amor, de leveza;
E te ouvir, dizer sou só tua.

Nenhum comentário: