segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Daqui até o desencarne

Eu não espero mais nada desta vida,
A não ser minha evolução
Ajudar o próximo
Entrar em ação
Aprendi a sofrer sem reclamar
"Morrer" por dentro pouco a pouco
Novamente quieto, calado, nesta vida aqui
Não tenho ambições
Dinheiro, casa, carro, casamento, conta em banco
Isso não me importa!!!
Nada disso me importa!!!
A vida que vivo aqui,
Por decisões e atitudes passadas,
Me foi imposta
E sigo vivendo estudando,
Só a melhor maneira de ajudar quem posso
Um sorriso meu, as vezes forçado, mas sincero
Álias sinceridade se foi,
Pra não sei onde...
Aqui reina o verniz da Hipocrisia,
A corrupção, a posse vazia
Viva a desonestidade!!!
Materialistas de um lado, fanáticos de outro
Amor...
O amor, logo ali, lá longe...
Onde nem meus pensamentos mais sublimes
e longínquos atingem
Lá nas Esferas Superiores, se encontra
E eu morrendo sufocado de amores
Por não sei quem, com vários rostos...
Tomo a decisão de viver "sozinho"
Tentando alcançar resignação e abnegação
Ainda com defeitos primitivos,
Em meio a trevas pessoais...
Feliz???
Não!!!
Muito aquém...
Lidando com a dor de vários anos de vida,
Vamos embora, na luta sem armas,
Na possível revolução pacífica
Ajudar um grito de socorro,
De alguém,
Nosso irmão,
Filho do mesmo Pai
Que assim seja,
Amém.