sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Meus ídolos Corinthianos

O Fenômeno é da Fiel

Velho Vamp



Viola um dia imitou o porco :)



O 1° Ronaldo




Gamarra o deus Da Zaga





Dida a muralha da Fiel






Parreira o técnico do Tetra em 2002 quase imbatível no Timão









Senna da Fiel


Douglas o Magnífico

Herrera 2º Argentino de raça





Carlitos El Rey da Fiel





Gil o Matador de bambis e porcos :)








Marcelinho pé de anjo e sua 2ª pele o manto








Neto o Xodó da Fiel









DR. Sócrates














Riva o Reizinho do Parque










-----------------------------





Sem Esquecer Basílio o herói de 77, Tupãzinho o talismã, Osvaldo de Oliveira o técnico campeão do Mundo, Mano o técnico da volta e mais um monte............

























sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Provação nossa de cada dia

O meu coração bomba sangue,
E derrama sangue, a sangrar...
Mudo de humor dez vezes ao dia
Depressão, ansiedade,
Tristeza, euforia,
Alegria, não tem idade...
Tudo isso, transtorno bi-polar
E passo por isso,
Há mais de uma década,
Provação nossa de cada dia
E minha fé aumenta,
O meu conhecimento do espírito vai embora,
Rumo a eternidade, com humildade...
Ainda pouco nervoso
Amor ao próximo, diminui a dor própria;
Evolução, futura verdadeira felicidade...
Mas ainda no físico
Que dor, na temporária, despedida,
Saudades.

domingo, 9 de novembro de 2008

Canto de Paz

Na pequena floresta de paz
Cai a chuva de verão,
Torrencial
E um dia todos verão
A luz sagrada,
Que nunca se desfaz.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Observação de vida

O ceticismo torna o homem triste.

O Fanatismo torna o homem louco.

A fé com raciocínio torna o homem lúcido.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Profecias do Presente

Mastiga-se nicotina,
Para se livrar do vício
Antes glamouroso, num circo
Se poluindo, no meio artístico
Que lindo!

O tempo escorre quente
O frio vem e nos “pega”,
Sem agasalho, e nos deixa doente

O lucro do desmatamento,
Das queimadas, da poluição
Pros animais, é puro tormento

Bebida alcoólica, brigas
Tráfico de drogas,
Chefiado por políticos, mega empresários
Isso não diz a polícia,
Nem a mídia
Os engravatados dizem,
“Ah, pura intriga”

E nós somos os loucos,
Quando falamos da reencarnação,
Da lógica da Justiça Divina,
Da fé raciocinada

Eu sei que sou “anormal”
Pois sei, que nos três reinos,
Mineral, vegetal, animal (...),
Já estagiei, no hominal já cheguei

Da ciência “fraca”,
O homem se autodenomina,
Animal racional
Preferindo cristalizar o pensamento,
Do “não sei”

Mas daqui a um tempo longo,
Leves seremos,
Anjos serenos
O reino angelical atingiremos...
Luta, serve, estuda,
Desenvolve-se
A evolução está “guardada”,
No esforço, do sabermos.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Sou eu

Sou enfermeiro,
Sou poeta,
Sou solteiro,
Faço letra,
Romancista,
Rock n´Roll na veia;

Sou espírita,
Do Brasil, sou brasileiro,
De São Paulo, sou paulista,
Vai meu Corinthians, maloqueiro;

Sou eu de poucos sonhos,
Sou eu que vivo,
Tentando ser bom,
De poucos sorrisos
“Só eu sei o que sinto”,
Mas não só eu que sofro,
Todos nós evoluímos,
No bojo do infinito.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Conhecendo-nos

Se pesquisarmos o “desconhecido”,
Sem preconceito, sem fanatismo,
Haveremos de nos conhecer.

Natureza do Amor

Vamos andar numa floresta, que restar
Vamos pegar a trilha, que vai as pedras
Andar na areia
Atravessar o mar
A luz do sol, nos abençoar
A natureza será testemunha,
Do nosso amor sublime, intenso, não vulgar
O vento nos beija o rosto
E sorrindo acordamos, desse sonho
Para a felicidade despertar
Ao lado da mata atlântica
Ar puro, mar lindo, céu abençoado
Pura obra de Deus
Árvores de puro Amor,
Vem, vamos plantar.

terça-feira, 29 de julho de 2008

Professora

Todos nós somos alunos da paciência.
Portanto, paciência.

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Paz e Amor, Luz do Conhecimento


Com paz,
Não há guerras

Com amor,
Não há ódio

Com luz,
Não há trevas

Com conhecimento,
Não há ócio.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Evolução da felicidade

Escuta-se a música
Escreve-se o poema
Pronto, arte muda

Doou sangue,
E isso, ainda é pouco,
De bondade, só um instante

Penso na minha sobrinha
Alegria da minha vida
E um minuto só com ela
Feliz, viva a Bruninha

Foi-se a minha infância
Que alegria, pensar nela
E pouco a pouco,
Cresço na esperança

A ilusão dos tempos felizes se foi
A infância espiritual se esvai
E sabemos que sem a permissão do Pai,
Nenhuma folha da árvore cai

Luta, serve,
Se caíres,
Levantai.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Já se faz Tempo

Leio, leio, leio...
Penso, penso, penso...algo,
alheio, vagueio(...) vago?
não, concreto!!!
Racionalizo, e já faz tempo
Retirei o véu de Ísis
e o tempo já se fez, cheio
chegado, aberto
A qualquer um,
já se faz hora, há tempo
O terceiro Milênio.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Descortinando

Da gambiarra que fazemos ainda faz parte de certo primitivismo, e do improviso, um pé na relativa genialidade.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Crítica para evoluir

Nenhum homem de boa vontade,
Será unanimidade,
Enquanto formos somente humanidade
E não pura espiritualidade
Infantil rivalidade;
Pueril vaidade;
O orgulho não tem idade
E poucos já possuem,
As duas principais qualidades,
A humildade, irmã da caridade.

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Desequilíbrio e Equilíbrio

Da mesma maneira que a fé cega é o fanatismo da religião,
O intelectualismo exacerbado é o fanatismo da ciência.

A razão aliada à fé raciocinada é a chave para esse entrave.

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Reflexão

Quando é que a violência irá dar trégua ao amor?
E penso que é com o próprio amor, que vencemos a violência.
Revolução pacifica, sempre...
Amar sempre...
Eterno labor...

Novos tempos

Hoje eu voltei a caminhar bastante,
Como nos velhos tempos
Não tão distantes de tempo,
Mas de mudança de vida, de comportamento
Tive uma conversa com um hippie,
Artista sobrevivente do mundo
Revi um hospital em que estagiei
E me deu saudades dos almoços,
Das conversas sobre o trivial
Para esquecer um pouco a dor alheia
Voltei pra casa, deitei e liguei o som
O rock n´roll me revigora
Fiquei deitado pensando no futuro lindo
E quando levantei,
Vi que o sol já se punha
Deixando o céu alaranjado
Quando estamos serenos,
Visualizamos a beleza do mundo
Não só olhamos e vemos
Mas quando a depressão vem sem avisos
O mundo é troca de energias,
Com pessoas, espíritos,
E os dois mundos, onde co-existimos
Assim sendo, já é madrugada,
E espero o sono chegar,
Para num fim de semana, acordar,
E ser feliz, não só porque estou vivo,
Mas porque, sinto a vida,
Nos novos tempos
Em que faz quatro anos
Larguei o cigarro, a bebida.
Enfim sou vivo,
Vivo e não sou mais,
Inconsciente suicida.

Triste trocadilho político

A imunidade parlamentar é sinônima de impunidade parlamentar ou para lamentar.

Na enfermagem

50% são técnicas básicas, outros 50% e mais importante, o coração.

quinta-feira, 22 de maio de 2008

As Artes

A música me da energia e eleva minha alma;

O cinema me faz pensar, dentro de um entretenimento real;

E os livros me trazem sabedoria.

Enfim as artes são grande terapia.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Ser Corinthians


Ser Corinthiano, não é ficar feliz ou triste, apenas quando o time ganha ou perde, ser Corinthiano é ser feliz, só de saber que o Timão existe.


Timão 2° torcida do Brasil e a 4° do mundo em n° de torcedores, mas a mais Fiel do mundo disparado!!!

Vídeo Timão e Fortaleza série b dia 31/05/2008 Pacaembu "nóis" tava lá eu sou de touca do Timão e camisa do Boca rsrs VAI CORINTHIANS!!!! HERRERAAAAAAAA!!! rs

Também na quarta dia 04/06/2008 fui na1ª final da Copa do Brasil contra o Sport Recife no Morumbi nosso salão de festa!!! 3x1!!! e depois perdemos o título, mas beleza não para, não para, não para....

Um dia quero te falar

Amor, semPre te amei;

Amar, semPre te amarei.

terça-feira, 13 de maio de 2008

Última feliz chance?

A contradição parece
Para minha felicidade,
Se aproximar
Alias é a última chance,
Que eu mesmo quero me dar
Mas (...) seria mais uma decepção?
Olhar, olhar, olhar,
Como te olhei
Alias, por vezes trocamos olhares
Mas antes, quando ainda na nave religiosa,
Abracei-te, com um beijo no rosto,
Teu perfume, emoção senti
Só pode ser você
Como na foto que já vi,
Te reconheci e como já registrei, escrevi
Escrevo de novo
Sobre você bela mulher, bela menina
Hoje mesmo emocionado, em meio lágrimas
De um frio de outono cinza
Será que o futuro pode brilhar azul pra nós?
Será que fomos “solitários”,
E em meio a tédio triste, “morremos”,
Por alguns anos amargos dessa nossa vida?
Aprendizado na solidão
E aprendemos que a vida não é brincadeira
Do parco conhecimento que tenho,
Da sua infância desventurada,
E da minha adolescência sofrida de pânicos,
Faz-me acreditar,
Que ambos chegamos lá,
A nos espiritualizar,
De-me sua mão,
Quero beijar, meu sinal de respeito;
E de amor beijo teus lábios (ainda em sonhos)
Parece que meu coração já é seu
Já o teu não tenho idéia;
Será que nas “asas” das nossas almas podemos nos entregar?
Desculpe tantas interrogações,
É que em passado triste,
Em relação a amar,
Quis ser arrogante, e “acabei” “acabado” (...)
E hoje desiludido,
Quero, e faz tempo que não posso,
Ser correspondido
Se pedisse para você ser “minha”,
E você negar,
Já vou acostumado (...),
Consagrar meus dias a estar sozinho
Mas te digo dói, mas dói,
De valeu a pena ter tentado,
Nessa última tentativa de ter amado
Pois na posição que me encontro,
Minha amada, seu nome ainda deixo só pra mim,
*** ***** :)

Estupidez Fascista Nacional

Se a corrupção é o câncer desse país, a burocracia é a paralisia.

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Certo

Legalizar as drogas e o aborto, é legalizar o suicídio e o homicídio.

Difícil

É em meio à desarmonia e as sombras, que devemos dizer eu te amo.

segunda-feira, 28 de abril de 2008

A cegueira do 3° Milênio

Todo sábado parece uma segunda feira qualquer,
Onde todos podem se encontrar,
Fora dos locais da rotina
Nem saio, vagueio, penso
Conserto algo, alheio...
Objetivo acho, miro, acerto,
Uma vez em cheio
Cheio... de aparências...
O coração vale pouco,
No mundo de hoje
Viva o terninho e gravata,
O cabelo curtinho
Boa aparência, cega reverência...
Materialismo, imagem,
Bons sentimentos, bobagem
E assim vamos apodrecendo,
Qual água parada, feito esgoto
Espírito sem trabalho ocioso
O verdadeiro eu precioso
Quem liga???
Alguns bons (poucos)
Que estam por ai aturdidos
Mas algo em que acreditamos
Está dentro de nós,
E não está perdido
Algo de bom... sinto
E em meio às sombras,
Das ruínas da corrupção
No futuro, lixo findo...
No nosso maior propósito,
De evoluir,
Seguimos...

terça-feira, 22 de abril de 2008

Observação

Quem julga seus defeitos e suas limitações, é na verdade quem inveja suas qualidades.

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Inesquecível

Estava lembrando de uma pessoa,
Que passou por mim por duas noites
Num inverno noturno na praia,
Passeando pela calçada
Lembrei-me de cada passo,
Dessa inesquecível estória
Que já se passou quase doze anos
E ainda as ondas do mar,
Quebram na minha memória...
Onde está? Onde se encontra?
Duas noites..., Doze anos...
E ainda sinto saudades de você,
De ser teu amigo
Quantos planos parados fiz,
Para ir até a tua cidade...
As informações?
Somente teu nome e sobrenome
E a tua prima, com quem me relacionei,
Não lembro nem do nome
Voltei para casa triste, angustiado e um pouco afoito...
Perdido, fiz várias ligações, sem sucesso,
No mesmo ano do encontro
E o que restou foram essas lembranças,
De duas noites mágicas
Saudades...
Não da nossa adolescência embriagada
Isso só fez parte do momento
E eu falando aqui o que sinto,
Registrando minhas recordações nestes versos,
Mal sei eu,
Em que lugar você vive hoje,
Do nosso Infinito Universo...

segunda-feira, 31 de março de 2008

Espasmo de consciência

Eu pensei que tudo estava desfeito
Mas meu pensamento vive correndo
E quando tudo foi triste,
Tinha algo vivo e lindo
E pensei que a vida era só desespero
Minhas “drogas” controladas foram largadas
E enlouqueci, quando tinha “tudo” nas mãos
A mulher dos sonhos,
De tempos ruins
Lia um livro espiritual
E sonhava reconstruir,
Belas paisagens
De formas pensamentos
E com atraso,
O encontro foi feito
Um abraço, um beijo
E as saudades do que nunca aconteceu,
A imaginação dos velhos tempos
Nunca disse adeus
Nem gosto de dizer até um dia
Até sempre,
Numa noite que nem mais freqüento
Calo-me, porque as palavras,
Se foram com a “morte”,
No meu peito
No meu coração bateu uma forte brisa
Uma tempestade violenta de ventos
Depois certa “bonança” chegou
Não estava mais atrasado
Ainda que não goste do meu reflexo,
Também não odeio
Depois da chuva, certo cheiro,
De terra molhada
Emoção, vida, lágrimas
Chega de receio, de medos...
Tudo é belo, nada é feio.

quinta-feira, 6 de março de 2008

Agonizando

O mundo vibra estresse
A natureza agoniza
Gazes poluentes
Vapores cancerígenos saem da garganta do vicio
Álcool, drogas em altas doses,
Fuga da realidade
Suicidas potentes
Maioria perdida
Planeta em ebulição
Ninguém inocente
E o barco da humanidade segue
Em tempestades de desafetos
Quem se entende?
O dinheiro é o número da besta
Guerra por poder, ouro...
Ilusão, quem está contente?
Seguindo regras, pagando taxas,
Impostos altos
E no alto do “poder”,
Os fascistóides gritam,
Voto obrigatório
Ninguém ausente.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Um Ano de Saudades

Pai daqui a 8 dias faz um ano da sua partida...
Obrigado pelos exemplos que me deixás-tes
À você minha eterna gratidão...
Honestidade, trabalho, caráter, dedicação,
foi o que você me deixou
Até sempre...
Sempre estaremos ligados,
pelo pensamento, amor, coração...
Desculpe, pela saudades dolorosas,
que as vezes chega até você;
Sei que este sentimento o faz sofrer
Mas a saudade natural, vai ser sempre inevitável,
sempre vai acontecer...
Porque eu te amo!!!
E hora me pego relembrando,
alguma alegria nossa compartilhada,
ou até mesmo alguma pesada discussão
Se eu não te dei nenhum orgulho,
quando caminhá-vas ao meu lado, perdão!!!
Se só lhe disse, "Pai eu te amo",
na noite, em que te vi desmaiado, em poça de sangue, depois da queda,
novamente te peço perdão!!!
Mas eu sempre te amei!!!
Hoje tento todo dia me reerguer,
tentando enxugar alguma lágrima alheia,
Pensando em você...
Agradecendo sempre a Deus,
por me "dás-tes" um pai correto
E eu ainda cheio de erros,
ainda caminhando "chumbado" ao chão da Terra,
Recomeçando, verdadeiramente, minha regeneração,
peço todo dia sua benção,
pro trabalho da minha recuperação
Obrigado, até sempre e um beijo no seu coração.

(meu pai desencarnou no dia 27/02/2007 aos 59 anos)

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Esquece

Com relação a mulher, joguei a última pá de cal, no túmulo do meu coração.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Os dependentes químicos e a enfermagem

Bem, em quatro meses de estágio em pronto socorros e hospitais, vi o tratamento que esses doentes do vício sofrem.
Digo sofrem, porque como se já não bastasse o preconceito social, ainda quando dam entrada num hospital, são tratados como sem vergonhas e vagabundos.
Vi muita má vontade de alguns colegas de enfermagem para com esses doentes; falta de paciência, termos pejorativos ao se referirem a eles e muita falta de respeito e grosseria ao encaminhá-los aos banhos falando de forma ríspida com esses irmãos.
Ora se lá fora a família e a sociedade os julgam como vagabundos, porque nós profissionais da saúde fazemos o mesmo?
Será que estudamos só para preparar e administrar medicações? fazer a parte burocrática?
Não seria o dependente químico, seja do álcool, ou de drogas, como por exemplo o doente compulsivo por comida?
O dependente da gula, não é também um doente? E no entanto o que vemos é uma forma diferente de tratamento.
Qaundo de fato vamos tratar os usuários e víciados em drogas como doentes, que precisam de atenção, carinho, uma palavra de conforto, ou apenas um sorriso sincero?
Será que vai ser preciso um ente querido de um enfermeiro ou médico ser dependente químico, para mudar tal forma de agir e pensar para com esses irmãos infelizes?
Pensemos a respeito, e não será difícil chegar a uma resposta positiva, em várias dessas perguntas no trato para com esses enfermos dependentes.

Flores Azuis

Enquanto faço uma prece sincera,
cai as bençãos do céu,
em forma de flores azuis
Atingindo nossa fronte singela
Nas sombras, irmãos infelizes,
se fazem presa de natureza sem vida,
no coração e na mente a vida dormita
Mas no jardim das felicidades eternas,
em abundância existe vida
E eu quando pelo pensamento,
me transporto pra onde há harmômia
Olhando pro mais alto
O ar puro, o vento sereno,
sinto algo feliz, alíviado
Viajando pelo espaço,
com os olhos de ver,
e ouvidos de ouvir,
Sentindo no corpo intermediário,
A chuva de flores azuis cair.

Desassombro

A trabalhar para bancos, finânceiras,
empresas de telefônia, convênios médicos,
cartórios, políticos, cargos públicos,
por exemplo agências do inss
(temos exceções de credibilidade é claro)
Visto que esse quadro,
só mudará em longo prazo,
na reforma íntima de cada ser,
deslumbrado com o poder e a ganância,
prefiro eu coçar o saco honestamente.

Escrevendo

Eu não vivo mais sem conhecimentos
Por isso devoro livros
Ns pessoas, as conversas; com ou sem profundidade...
A filosofia, a religião, a ciência, as letras, os números,
no trabalho, nas palestras
raciocínio a título de crescimento intelectual,
Amor, sempre a Essência Divina, Espiritual,
Em nós mesmos a movimentar crescimento Moral;
E passo a verificar que já cresci,
e ultrapassei velhos e vários obstáculos
Que sou outro mais digno de um certo respeito
(que nem espero)
Escrevo meus desabafos, há mais de uma década...
Escrevi, li , gostei; depois rasguei,
muitas vezes foi assim
Até que num ano de mudança total,
escrevi minha maior angústia desde então
Depois de dois anos "publiquei" aqui meu livro virtual
poeta, escritor sou eu
Aqui todos podem ler,
se é bom ou ruim, não sei
você pode falar ou até escrever.

Estacionários

Neo nazistas, neo farizeus
neo fascistas, antigos ateus...
Por desconhecer o amor,
cada qual matou um, dois, um monte;
e mesmo estando encarnado,
cada qual "já morreu".

Curando a Alma

No livro das nossas consciências,
está escrito páginas de iniquidades
clamorosas, horrendas
No escorrer dos milênios da eternidade;
professora essa, que não sessa de ensinar
Mas ao passo que hoje,
contemplo a caridade do sol,
e a luz prateada da lua ao anoitecer
Sentindo relativa paz ao adormecer...
Sem dúvidas já evoluímos muito
Tento me transportar em pensamento,
As esferas celestes de felicidade
Ergo minha fronte honesta,
orvalhada de lágrimas sinceras
e na sede de me espiritualizar ao máximo,
na meditação, prece e na leitura edificante,
Peço proteção no trabalho que abraço
Tento todo dia "destruir" as deficiências,
do velho homem de outrora
E quando durmo, no dia seguinte acordo,
renasço...
E vou partindo de tempos em tempos,
com certa coragem, nas boas ações que faço
As velhas lições que não aprendi,
Refaço resignado,
para o necessário aprendizado
No esforço de reconstruir,
o que por minha ignorância,
destrui no passado.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Missão da Enfermagem

Eu vivo as vezes
na impotência do inesperado
Por isso faço da enfermagem, ainda no estágio
Minha Missão de trabalho
E penso como tudo isso começou...
Um estalo no ano 2000,
na cama ainda na fase de viver embriagado,
Logo fiquei eufórico, depois envergonhado
Imaginei: como eu cuidar do próximo?
assim todo estragado?
Mas a vida me conduzio
E eu naveguei na dor do seu barco
O acidente do meu pai,
Meu Deus quanto espanto!!!
Dias e Noites ao seu lado
Vivendo pra ele, só pra ele
e todos nós em casa machucados
em fevereiro de 2007, ele se foi
Quanta saudade, que me sinto até sufocado
Nos Hospitais, quanta coisa triste e feia
Chorando por dentro e sorrindo por fora
Nem sei como aguentei essa tempestade
Só por amor e fé mesmo
Viva a Enfermagem,
A arte do cuidado
Viva para o próximo,
E será feliz, e pelas Forças Superiores respaldado
Na vitória de vencer a si mesmo,
Nosso maior desafio de estar encarnado.