quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Missão da Enfermagem

Eu vivo as vezes
na impotência do inesperado
Por isso faço da enfermagem, ainda no estágio
Minha Missão de trabalho
E penso como tudo isso começou...
Um estalo no ano 2000,
na cama ainda na fase de viver embriagado,
Logo fiquei eufórico, depois envergonhado
Imaginei: como eu cuidar do próximo?
assim todo estragado?
Mas a vida me conduzio
E eu naveguei na dor do seu barco
O acidente do meu pai,
Meu Deus quanto espanto!!!
Dias e Noites ao seu lado
Vivendo pra ele, só pra ele
e todos nós em casa machucados
em fevereiro de 2007, ele se foi
Quanta saudade, que me sinto até sufocado
Nos Hospitais, quanta coisa triste e feia
Chorando por dentro e sorrindo por fora
Nem sei como aguentei essa tempestade
Só por amor e fé mesmo
Viva a Enfermagem,
A arte do cuidado
Viva para o próximo,
E será feliz, e pelas Forças Superiores respaldado
Na vitória de vencer a si mesmo,
Nosso maior desafio de estar encarnado.