sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Curando a Alma

No livro das nossas consciências,
está escrito páginas de iniquidades
clamorosas, horrendas
No escorrer dos milênios da eternidade;
professora essa, que não sessa de ensinar
Mas ao passo que hoje,
contemplo a caridade do sol,
e a luz prateada da lua ao anoitecer
Sentindo relativa paz ao adormecer...
Sem dúvidas já evoluímos muito
Tento me transportar em pensamento,
As esferas celestes de felicidade
Ergo minha fronte honesta,
orvalhada de lágrimas sinceras
e na sede de me espiritualizar ao máximo,
na meditação, prece e na leitura edificante,
Peço proteção no trabalho que abraço
Tento todo dia "destruir" as deficiências,
do velho homem de outrora
E quando durmo, no dia seguinte acordo,
renasço...
E vou partindo de tempos em tempos,
com certa coragem, nas boas ações que faço
As velhas lições que não aprendi,
Refaço resignado,
para o necessário aprendizado
No esforço de reconstruir,
o que por minha ignorância,
destrui no passado.

Nenhum comentário: