segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Profecias do Presente

Mastiga-se nicotina,
Para se livrar do vício
Antes glamouroso, num circo
Se poluindo, no meio artístico
Que lindo!

O tempo escorre quente
O frio vem e nos “pega”,
Sem agasalho, e nos deixa doente

O lucro do desmatamento,
Das queimadas, da poluição
Pros animais, é puro tormento

Bebida alcoólica, brigas
Tráfico de drogas,
Chefiado por políticos, mega empresários
Isso não diz a polícia,
Nem a mídia
Os engravatados dizem,
“Ah, pura intriga”

E nós somos os loucos,
Quando falamos da reencarnação,
Da lógica da Justiça Divina,
Da fé raciocinada

Eu sei que sou “anormal”
Pois sei, que nos três reinos,
Mineral, vegetal, animal (...),
Já estagiei, no hominal já cheguei

Da ciência “fraca”,
O homem se autodenomina,
Animal racional
Preferindo cristalizar o pensamento,
Do “não sei”

Mas daqui a um tempo longo,
Leves seremos,
Anjos serenos
O reino angelical atingiremos...
Luta, serve, estuda,
Desenvolve-se
A evolução está “guardada”,
No esforço, do sabermos.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Sou eu

Sou enfermeiro,
Sou poeta,
Sou solteiro,
Faço letra,
Romancista,
Rock n´Roll na veia;

Sou espírita,
Do Brasil, sou brasileiro,
De São Paulo, sou paulista,
Vai meu Corinthians, maloqueiro;

Sou eu de poucos sonhos,
Sou eu que vivo,
Tentando ser bom,
De poucos sorrisos
“Só eu sei o que sinto”,
Mas não só eu que sofro,
Todos nós evoluímos,
No bojo do infinito.