quinta-feira, 6 de março de 2008

Agonizando

O mundo vibra estresse
A natureza agoniza
Gazes poluentes
Vapores cancerígenos saem da garganta do vicio
Álcool, drogas em altas doses,
Fuga da realidade
Suicidas potentes
Maioria perdida
Planeta em ebulição
Ninguém inocente
E o barco da humanidade segue
Em tempestades de desafetos
Quem se entende?
O dinheiro é o número da besta
Guerra por poder, ouro...
Ilusão, quem está contente?
Seguindo regras, pagando taxas,
Impostos altos
E no alto do “poder”,
Os fascistóides gritam,
Voto obrigatório
Ninguém ausente.