terça-feira, 13 de maio de 2008

Última feliz chance?

A contradição parece
Para minha felicidade,
Se aproximar
Alias é a última chance,
Que eu mesmo quero me dar
Mas (...) seria mais uma decepção?
Olhar, olhar, olhar,
Como te olhei
Alias, por vezes trocamos olhares
Mas antes, quando ainda na nave religiosa,
Abracei-te, com um beijo no rosto,
Teu perfume, emoção senti
Só pode ser você
Como na foto que já vi,
Te reconheci e como já registrei, escrevi
Escrevo de novo
Sobre você bela mulher, bela menina
Hoje mesmo emocionado, em meio lágrimas
De um frio de outono cinza
Será que o futuro pode brilhar azul pra nós?
Será que fomos “solitários”,
E em meio a tédio triste, “morremos”,
Por alguns anos amargos dessa nossa vida?
Aprendizado na solidão
E aprendemos que a vida não é brincadeira
Do parco conhecimento que tenho,
Da sua infância desventurada,
E da minha adolescência sofrida de pânicos,
Faz-me acreditar,
Que ambos chegamos lá,
A nos espiritualizar,
De-me sua mão,
Quero beijar, meu sinal de respeito;
E de amor beijo teus lábios (ainda em sonhos)
Parece que meu coração já é seu
Já o teu não tenho idéia;
Será que nas “asas” das nossas almas podemos nos entregar?
Desculpe tantas interrogações,
É que em passado triste,
Em relação a amar,
Quis ser arrogante, e “acabei” “acabado” (...)
E hoje desiludido,
Quero, e faz tempo que não posso,
Ser correspondido
Se pedisse para você ser “minha”,
E você negar,
Já vou acostumado (...),
Consagrar meus dias a estar sozinho
Mas te digo dói, mas dói,
De valeu a pena ter tentado,
Nessa última tentativa de ter amado
Pois na posição que me encontro,
Minha amada, seu nome ainda deixo só pra mim,
*** ***** :)

Estupidez Fascista Nacional

Se a corrupção é o câncer desse país, a burocracia é a paralisia.