quinta-feira, 26 de agosto de 2010

“Poema desencarnado”

Os poetas não morrem
Tão pouco as poesias
Renovam-se ambos
Em vida mais rítmica
Que na terra,
A mais bela expressão
Só pôde revelar-se em agonia
Agora no além-túmulo
Nas belezas de Deus
“Abrem-se os céus”
Na Glória Divina
Na Bondade eterna
Ó Misericórdia Celeste
Sempre bendita,
Em hora de dor
Sê bem-vinda.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Glória

Conquistamos fé, esperança,
Amor, felicidade,
Alegria, humildade...
E a custo de dor auxílio
Ganhamos vida...
E Deus achou melhor assim
Cumpra-se com amor,
Até o fim...
E a humanidade vive
Na noite total de suas doenças
E o dia de sol pra quase todos é normal
E poucos procuram,
A verdade cósmica
E os materialistas são cômicos, doentes,
Mas não idiotas
Todos têm direito ao pensamento livre
Mas quem foge da vida espiritual verdadeira,
Embora com direitos,
Não tem lógica
E tão pouco o que se conquista,
Sem meios,
É glória.