sábado, 31 de março de 2012

Ilusão



Ilusão

Quando iludimos alguém,
Somos nós os donos da ilusão
Portanto nós próprios os iludidos.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Idas e Vindas



Idas e vindas
De internação em internação
Idas e vindas
De intervenção em intervenção
Idas e vindas de encarnação em encarnação
E de tempestades de candura,
Fizeram-se todas estas (...).
E “ninguém” aprendeu (dia)
E em tempestades devastadoras
Só assim o ser humano (alguns)
Renovou (varam) seu coração...
Meu Deus!
De todas as caras e faces,
Num só rosto,
Do universo soberano
Dê-me um tempo
De construir minha vida,
Ante as aberrações burocráticas,
Desta vida física,
Que ainda pede o mundo errante (...).
Sou honesto
Minha precariedade é que detesto tudo isso...
E de resto, sou eu já um pouco bom.
Mas nesse mundinho hediondo,
Pra se ter acesso, ao sustento,
Tem que ter papéis, nomes, carimbos,
Não basta ser humano, ter vontade...
Enquanto isso somos palhaços pro congresso
Mas de idas e vindas,
Somamos vidas e vidas,
Em busca do progresso...


quinta-feira, 22 de março de 2012

Des (conectado)

De vagabundo escolar,
Totalmente desconectado com tudo aquilo que me foi apresentado,
Sabe lá por mais ou menos 15 anos em salas de aula, na adolescência,
Portador de depressão, pânico, ansiedade, palidez, olheiras profundas, obsessão e muito sofrimento [...].
Nesse meio tempo de anos me tornei um bêbado
E um fumante que acabava com um maço em três horas bebendo por alguns míseros anos, alguma diversão me salvou da morte...
Hoje sou enfermeiro, e um devorador de livros, seja lá de que assunto for...
Há nisso uma vitória em si mesmo, a parte o contentamento...
Eu só tenho a razão,
Em mim vive ela
De resto não me sobra mais
Aquele amor infanto-juvenil,
Que tanta alegria traz (ia)
Meu coração com relação a isso é gelo,
Já a um bom tempo,
Meu cérebro, apesar de racional é medo,
Sem emoção, sem aparência, sem dinheiro,
Sem espaço, sem tempo,
O que faço? Declaro-me, passo vergonha,
Ou morre por dentro de vez,
Meus parcos sentimentos!?
Ainda não sei, só sei que,
Não me mato nunca mais,
E parto pra vida vivendo...



sexta-feira, 9 de março de 2012

Progresso natural

Onde estavam todos?
Na ausência de ordem, todos pecaram?
Onde estão os livres e os de sorte de toda ordem?
Estariam eles atingindo a plenitude,
De que o planeta comporta?
E quantas viagens foram feitas?
E as novidades que foram antevejas...
É de ordem natural das coisas...
O pregresso das almas,
A este, afeitas...
E os pensamentos nascem na cabeça,
Pra viver eternamente, num papel,
Transcrito a pena...

Tribunal Verdadeiro

Se o tribunal da própria consciência
De nada te acusas,
Podes dormir tranquilamente.

Vou seguindo-te

Vou seguindo-te
E você a mim...
É bom que me vejas,
Com aparência doente,
Quase que o ano inteiro,
Quase que diariamente
Pois quando me olhar
Envolto em luz
Num dia certo de misericórdia
Haverá de maravilhar-se
Quase que eternamente
De certo ficarás cega,
Em segundos contentes
Correras para mim ou para paredes
De ilusória cor diferente [...].
Porque se amar de nada valesse,
Não teria o Mestre “expirado” na cruz
Porque o amor sublime é mais
Que os pobres humanos,
Ainda não entendestes [...].
Tempo muito longo
Indiferentes...
Até quando?
Perdermos os dentes!?

segunda-feira, 5 de março de 2012

Poder...

Poderia eu dormir agora
Neste fim de tarde
Mas preciso fazer o bem,
Depois do banho
Rezar, pedir, agradecer...
Com ou sem insônia
Deixa pra mais tarde,
Meia-noite
Sei lá, depois [...]
Qualquer hora...
Limpar a mente,
Antes de limpar o quarto
Na capital, resolver, problemas capitais;
Que por enquanto falta capital!
Deus nos ajude,
Sem ninguém saber,
Ainda que seja em cima da hora...

[...]

Unicidade de Existência

Se ao término de uma única existência, o Espírito fosse diretamente para o “paraíso”, estaria este cheio de hipócritas e o “inferno” cheio de ignorantes.


Começo

A caridade realizada com amor ao próximo, é o começo da felicidade, que ainda não é deste mundo.