quarta-feira, 25 de julho de 2012

Algum dia

Trago no meu rosto
A paz e a doença
De 90% do todo
A doença de ter de reencarnar novamente neste globo (...)
E ao passo que só sentir paz,
Sentirei a santidade,
Ao meu redor
E a iluminação em meu coração
E a sensação da realidade eterna
E a falência do que foi um dia,
E amanhã será a lenda da imaginação.



“Nascer, viver, morrer, renascer ainda, tal é a lei”.

Allan Kardec

Nenhum comentário: