quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Adeus fantasmas pesados

 Nossos anos 60, foram os anos 90, lúdicos e lisérgicos... E em vinte anos, o único ano (97) que mais ou menos fui feliz foi este... Em 07 e 10, nasceram as luzes de minha vida (minhas duas filhas da alma) e o antes e o depois, dentro destes 20 anos, é tudo trágico, é tudo sombra, é tudo dor, é tudo ansioso, é tudo triste, é tudo pânico, é tudo miserável... E hoje aos 35 anos, sou mais jovem que aos 15... Mas sou decrépito de vida social. E não me esqueço nunca de meus risos de esperança falsa renovada... Meu pai partiu (in) consciente de dor, para a pátria espiritual; e escrever isto é a pedra fundamental de fundação de nova vida... Renasci finalmente? Exorcizo meus fantasmas, no século XXI o século do Espírito, o século do progresso... 10 anos sem álcool, 10 também sem tabaco. Tomo medicamentos, evitando suicídios lentos... Leio feito louco, trabalho muito são. Escrevo com emoção... Afastei-me de todos, foram anos de reclusão. Abracei a vida, e agora reencontro amigos e estranhos conhecidos de todos os meus 35 anos. Me perdi no tempo e no espaço, embora as datas não me escapam. Das boas obras me valho, tudo que acabou de repente, agora está sendo completado. E se desanimar hoje, voltar no dia seguinte, ser feliz não tardo, adeus tristeza. Estou concluindo o passado, destruo dia a dia os fantasmas pesados minhas formas pensamentos cristalizados... Abraços em todos os irmãos. Ass. Um pobre diabo, renovado... MC8Z