quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Levanta-te

Levanta-te, nunca é hora de morrer
Acorde, sempre é hora de viver, pela eternidade,
ainda que minha vida, tenha matado meus sonhos físicos,
minha alma é livre de embaraços de atraso
posso cantar bravamente em Espírito,
mas na Terra, minha cordas vocais não obedecem meu talento
choro pela timidez que escolhi, mas à bendigo todo dia...
frente ao que descobri sobre o que é viver,
nada nos pertence, além da obra que deixamos a todos
O corpo é veículo da expressão da verdade. 
O atraso é a vaidade...

Domino Gratias


Nenhum comentário: