terça-feira, 17 de maio de 2016

Me foge o sangue a face. Pálido sempre estou. Saio ao sol e rosto corado fico. Chego a casa, acabou. 

Nenhum comentário: