terça-feira, 22 de novembro de 2016

Caminho da Eternidade

Procuro a saída
com ou sem flores vivas
num cesto no bojo do tempo
de até que enfim, amor
rufaram os tambores da antiguidade
é o sinal para quem ficou
procurando mudanças seculares
poderá ser a única habilidade
à perceber os sinais
do novo mundo
sem as velhas e exaustas modernidades
jamais estaremos separados
os sonhos infantes nos uniram no passado
agora melodias clássicas
rufaram os tambores do pavor
juntos estaremos com o coração esperançoso
no fundo do poço
da morte e da vida
deixando para a história a maldade
andaremos juntos
deixando passo a passo as trevas
arrebatados de amor
rumo a felicidade
sofrer é o percurso
dentro do tempo
e do caminho da eternidade.