quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Primavera Fria

Tentar marcar o tempo,
como se isso em mim ainda fosse possível
Como se fosse um vômito,
de tinta verde estourada na parede
Minha bile que percorre,
meu fígado e jorra por toda parte
Débil e infantil - manter-me de pé
Morrer sem saber quem é - talvez,
num mundo que convulsiona,
é ser feliz como inseto
que vai e volta,
não obstante, estar certo se existe ou não,
de quem é...
quem é que vive, quem é que sonha?!
equilibrando-se entre formas - pensamentos,
de choros de luz e sorrisos de sombra...

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Sonhos Desbotados

Sonhos desbotados
de tempos passados
último recurso jogado no lixo
em mergulho em velha piscina,
cheia de vômitos de timidez
depois o pânico - o álcool
e ouvir uma canção ao vivo,
é morrer de frustração,
na longa noite de terror
que me abateu nos últimos 24 anos
músicos ao meu lado com sua melodia,
é o som do meu funeral em vida...
nestas linhas que procuro me sentir vivo
perguntar a vida e a eternidade
- quanto tempo falta para findar a saudade!?
onde foi que e por quê,
perdemos a felicidade!?
Há que viver!!!
para resgatar débitos,
na exercida maldade,
nos ombros em que carregamos
mais um exílio na Terra,
indo e voltando,
aqui e na erraticidade...
quantos túmulos nossos,
durantes centenas de reencarnações,
existem no cemitérios - os jardins da saudades!?

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Tristeza

Inverno, sol, cheiro de fogueira
Trinta por cento da minha infância
As mesmas paisagens pouco mudadas
O mesmo poste em frente de casa
Muita gente foi embora
poucas coisas que ficaram tem alma...
vinte por cento de alguma vontade,
minha vida agora
Velhas canções escuto
leio - tem alguma novidade
e choro querendo voltar ao passado
não me mato
a vida é eterna
é O Espírito querendo falar,
os outros cinquenta por cento,
de que existo,
é um grito que ecoa na mente
sem gritar...

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Sem Volta

Acordei para fechar as portas que ficaram abertas do passado luminoso...
Estavam descuidadas, abandonadas... Por dentro, lixo, escuridão.
Nas paredes, nossos pensamentos escorriam saudades pesadas...
Tivemos o trabalho de só dar trabalho...
Quisera eu rasgar o tecido do tempo,
e voltar ao sol do velho mundo, do nosso velho mundo...
Mas não se engane querida, todos nós desencarnaremos um dia, e certamente será melhor para todos.
Mas temos que limpar, antes o que sujamos,
Voltaremos a nos contemplar na forma perispiritual de décadas atrás - e isso é meu único sonho...
Correremos atrás dos sonhos de Verdade...
A ilusão nos esgotou,
como a andar sem rumo,
no deserto das drogas...
As mentiras estão indo embora
e nós juntos estamos no momento, vazios e ocos,
mas cheios de esperança - eu pelo menos...
O que aconteceu conosco!?
Foi uma hecatombe,
foi uma desgraça, para despertarmos, e nós nem percebemos!
A revolta nos embotou a visão,
nos castigou o coração,
a alma sofreu,
o corpo quase pereceu.
Mas continuamos no campo das formas,
na escuridão do caminho de volta
Somos eternos companheiros do amor, estagiando na dor - e a quanto tempo, meu Deus!?
O amor é Deus dentro de nós,
O que nos falta é Fé, menos revolta,
Um caminho feliz, sem volta...

terça-feira, 21 de março de 2017

Duas Décadas de Volta

Duas Décadas de Volta
Vamos atravessar o inferno juntos, minha irmã
Se estivemos juntos na luz da felicidade duas décadas atrás
Estaremos juntos agora novamente
No caminho espinhoso de volta pra casa...
Das nossas escolhas equivocadas,
Da senda cheia de nada...
Mas nada dura para sempre,
a não ser a vida...
E o sofrimento que carregamos hoje,
é a ilusão que sorvemos ontem
a fim de eleger alívio
ao desespero, do fel
que nos ia alto ao peito
Mãos dadas agora estamos
Não obstante os surtos
que vem e vão...
A loucura é o desequilíbrio
que não foi tratado durante séculos...
Objetivo é agora a sedação da Alma,
À Luz da Razão Espiritual...
Há Luz no fim deste túnel sujo e escuro...
Nossa saúde não é mais a mesma
Mas estamos fazendo isso à duas mãos
Estamos juntos na saudade
Do reencontro doloroso
Relembrando os sonhos do passado,
na atual realidade
no instante laboroso
Temos todo tempo do mundo...
A vida é eternidade
o sofrimento, evolução
o alvo, a felicidade...

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

...

A morte é a Ressurreição; O nascimento é a Reencarnação.

A nós - Ao próximo

A minha tristeza
tem o tamanho da sua
desesperança de viver
nossa ligação por anos pereceu
eu também havia morrido
e você cansou de sofrer
em que curva do caminho escuro
te perdeu?
Onde quebrou tua frágil candeia de sonhos luminosos?
Perdeu o controle e resolveu morrer?
Tantas perguntas sob minha mente
e tuas respostas negativas de autocídio...
O caminho de volta é mais difícil
mas juntos estamos atravessando
o começo do fim
do fim do meio
de nós mesmos
e se nada será novamente como antes
também não será como hoje
amanhã será o meio termo
um ganho de tempo
entre a ilusão juvenil e o abuso
entre sonhar acordado
e pesadelos, dormindo
não adianta fugir
no mundo de formas não se mata a dor
se ganha paz se ganha amor
sigamos em frente
há muita luz adiante
alcançaremos evoluindo
amor, ciência ao próximo, distribuindo...