quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Paz é trabalhar


Se eu soubesse que este ano (1993) seria o último,
Impediria-te de fazer esse malbaratado espiritual trabalho... (mesmo não sabendo)
Que caiu em mim, errando o alvo...
Aos 15 anos completar
E meu inferno começar, sem paz nem par...
E você a divertir-se, brincando com a vida
E agora depois de anos morta-viva a convulsionar...
Tentando se matar,
Sem ao menos conseguir
E eu tentando viver,
Sem, contudo saber...
Certo é que continuamos ambos
Presos a ferro na Terra,
Embriagados e tristes sem saber seguir,
Com saudades do passado...
Tendo certeza ao menos – eu pelo menos – que amar aqui, só o próximo
Ser feliz só assim...
Perdidos no mundo – vivo sei lá como no século XXI,
Mas mesmo confuso,
Sei que aqui ou acolá
Aquém ou além
Descobri que mesmo triste,
 a paz é trabalhar...