domingo, 12 de maio de 2019

Memórias - 1979 - 2019


Acontece toda noite fria
Garoa flutua em volta da luz do poste
Como mosquitos gelados de tristeza
Das saudades dos tempos antigos
Dos perigos antes possíveis, mas pouco acontecidos
Era pura felicidade – chuva, frio, calor, sol, noite e dia.
E tudo era pretexto para ser feliz e sonhar
Já disse antes que - praticamente podíamos tocar a felicidade...
 Idade?
 Cidade?
Eram intermináveis numa coisa só...
Eram infinitas porque duravam todos os dias e todas as noites
Pessoas foram embora, deixando o plano físico, partindo para outras áreas, casando-se e me deixando um vazio existencial de pura tristeza
Carrego o coração angustiado
Carrego o cérebro atormentado
40 anos de idade...
14 de felicidade – 26 de confusão
E toda noite e todo o dia se foram
Porque hoje são iguais, pura depressão
Não sou nada mais do que minhas lembranças e saudades
Ando, nos mesmos sítios no tempo hoje triste, mas que era ouro de felicidade
E vejo o progresso de novos moradores, de ruas asfaltadas e nada disso me diz algo
Outras almas, outros sonhos, outras risadas
Nada disso me pertence,
Não sou mais nada – nem criança,
Nem adolescente,
 Adulto, tornei-me porque o tempo passou
Mas nem sei onde estou – corpo no presente, pensamento no futuro vivendo num passado distante
Sou um homem sem idade, sou Espírito imortal
E é só por isso porque vivo, afinal!