sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Sombras de mim

Tão perdido que não tenho onde ir
Cinco minutos para as dez da noite
Dei um perdido eterno
Todos podem rir!

E nada e' tão fraterna,
quanto minha angústia
Nada parece como antes
Antes, das sequelas... 

Cérebro conturbado
Vizinhos novos calados
Mesmos sítios
Coração angustiado

Profissão - espera
nada de novo aos 40...
Vergonha que sufoca
Aparência feia estética

Sem rumo
Sem dinheiro
Sem amor
Nada arrumo

Com fracassos,
um atrás do outro
Durmo ou saio
Ano após ano
afundo...

Passado que se foi
Pessoas que partiram
Algumas morreram
outras faliram

Saudades de quem fui
Inveja de quem não fui
Nojo de mim
Um livro vazio de contos ruins.

E se não fosse Deus!?
Onde estaria!?
Longe de Sua Misericórdia
Contando minhas sombras,
na escuridão das ruas...

Já teria aqui abreviado
Através do suicídio,
aqui na terra, minha vida
neste planeta minha reencarnação,
minha estadia,
caindo em novo e cruel suplício.