sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Acordando

Andando com sol
E as trevas me acompanham faz tempo
Nada importa na minha vida
sem saúde mental e física
Espantalho da colheita alheia
Feliz em conseguir tomar banho
farrapo desgraçado ao qual miro no espelho
jogado as traças ao qual recolho-me a eu mesmo
Chega de fugas fugazes
há atrás de nós as dívidas de outrora
nos esperando para o cumprimento da Lei
e nós outros brincando
nos embriagando
mentindo a nós mesmos
enquanto os séculos passam
e continuamos carrascos de da nossa consciência
Não vivendo,
mas indo e voltando
nos atrasando aqui e no além